Dicas para regar orquídeas.


Vamos entender um pouco sobre a água que devemos oferecer para as orquídeas.

Qualidade da água – O pH da água para quem não conhece é medida que determina se a água se encontra ácida, neutra ou alcalina. O pH ideal para as orquídeas varia de 5,6 para 6 levemente ácida já que a faixa neutra se encontra no Ph 7, acima disso água é considerada alcalina e a baixo ácida.
Assim como é importante que o homem consuma água como pH acima de 7, conforme estudos indicam seu benefício a saúde . As orquídeas necessitam de um pH que vai da faixa de 5,6 a 6 para poder absorver nutriente de forma adequada para seu bom desenvolvimento. 
Vejamos o pH de algumas fontes de água;

A água de poço ou mina tem um pH que gira entorno de 7, o que não é ideal para regar suas orquídeas.

Água de rio, nascentes  seu pH é entorno de 5,6 a 6, sendo está a ideal para oferecer as suas orquídeas.

Água de chuva tem um pH que gira de 5,6 a 6, sendo está também ideal para as orquídeas.

Água de torneira apesar de te ter um pH ideal devido sua origem ( rio ) é tratada com produtos químico e entre eles  está o cloro que não é bom para saúde humana como para as orquídeas. Neste caso o que fazer: deixe a água descansar de um dia para o outro, assim o cloro que se encontra na água evaporará ou com um pulverizador regue sua orquídea, pois as partículas de água pulverizada sobre pressão evaporam o cloro, há ainda outra forma que é regar com uma mangueira apertando a saída da água de forma que a água saía em forma de esguicho sobre pressão.

Qual o melhor horário para regar as orquídeas.

Durante o verão à tardinha é o melhor horário para regar, pois a água no substrato estará evaporando durante a noite e amanhecer , quando chegar o momento mais quente do dia o substrato não estará encharcado d’água, pois se assim estivesse às raízes seriam cozidas pelo calor intenso que o substrato alcançaria.

Durante o inverno fazemos o inverso, sendo o melhor horário pela manhã evitando que a planta ao ser irrigada durante a noite congele, quando em algumas regiões frias a temperatura chega aos 4 graus, porém a água sobre evaporação chega a zero grau congelando e explodindo os tecidos da orquídea, pois é o que acontece quando a água quando congela, ela se expande.

Qual é a quantidade ideal de água para cada espécie de orquídeas:

O que vai determinar a quantidade ideal que cada orquídea vai necessitar de água é o substrato. Mas como assim... Vejamos: orquídeas que necessitam de maior quantidade de água pedem substrato que retenha uma quantidade maior de água, enquanto orquídeas que necessitam de quantidades menores de água necessitam de substratos que retenham pouca água. Desta forma você conseguirá irrigar durante dez minutos todas as suas espécies de orquídeas fornecendo a quantidade ideal de água.


Deficiência de cálcio nas orquídeas.


A deficiência de cálcio em orquídeas principalmente do gênero cattleyas é facilmente identificado, pois no período de crescimento rápido o broto apresenta uma aparência semelhante a uma podridão fúngica ou bacteriana. As novas folhas podem ficar com as pontas pretas e a área afeta apresenta uma faixa amarelada. Os botões florais podem se desenvolver de forma inadequada. Pode causar a morte das raízes.

O cálcio é um macronutriente que a planta usa para construir as paredes celulares.  

Como tratar:

A forma para evitar é fornecer a planta um bom fertilizante a base de cálcio como veremos na receita abaixo descrita:

Meia colher de chá por 10 litros de água ou uma colher de dolomita em pó para 10 litros de água.

Agora regue sua planta com esta formulação proporcionando a sua orquídea o cálcio extra que ela tanto necessita para seu crescimento ativo.


Adubos orgânicos a base de farinha de osso também é uma boa fonte de cálcio para as orquídeas.

Dicas e cuidados com as raízes das orquídeas.

A maioria das orquídeas sai do estado de dormência e começa o crescimento radicular após o inverno quando a temperatura começa a aumentar. Podemos também encontrar orquídeas que fogem a esta regra.

Na natureza, a maioria das orquídeas desenvolvem novas raízes quando novas folhas começam a surgir.

Para orquídeas de rizomas, isso geralmente acontece quando o pseudobulbo começa a amadurecer. Porém orquídeas que crescem a partir de uma haste central, por exemplo, phalaenopsis e vandas, novas raízes estão associadas com períodos chuvosos ou quentes.

Existem fatores que podem impedir o crescimento de novas raízes, especialmente quando são atacadas por insetos como: lemas, caracóis, cochonilhas ou causado por doenças. Nestes casos após tratamento será necessário estimular o crescimento de novas raízes para salvar a planta, já que uma orquídea sem raízes vai acabar morrendo.

Se for verificado que a maioria das raízes estão mortas, então provavelmente as raízes estão doentes ou substrato está entrando em decomposição liberando substâncias tóxicas para as raízes ou as sufocando-as, neste caso deverá ser feita a troca do substrato e remoção das raízes mortas e desinfetar mergulhando o rizoma por 15 minutos em uma solução de meio litro de água com cinco colheres de sopa de água oxigenada de 10 volumes. Depois deixe a planta secar e coloque a planta em um saco transparente com um pouco de musgo umedecido de forma que não fique acumulada água no fundo do saco, assopre o saco enchendo-o de ar e amarre a boca do saco e coloque em um local com pouca luz e aguarde até surgirem as novas raízes para replantar. 

Obs.: O ar que sai dos pulmões tem uma concentração de gás carbônico maior o que estimula a planta a se desenvolver.

Artigo relacionado:

Como estimular as raízes das orquídeas

Dicas para combater a Podridão Mole nas orquídeas.

Folha de Phalaenopsis infectada por bactérias
A Podridão mole é causada pela Pela bactéria Erwinia carotovora que degrada a parede celular. Esta bactéria é encontrada no solo.

As bactérias são organismos oportunistas que podem entrar através de feridas e se espalhar tão rapidamente que as plantas podem apodrecer completamente em 2 a 3 dias. 

A infecção surge na maioria dos casos nas folhas e vai descendo até alcançar as raízes.

Nas Phalaenopsis apresentam como manchas nas folhas que tem o aspecto que o tecido da folha está embebido d’água (aquoso) e de coloração escura com afundamento do tecido. 

Está podridão úmida pode ter odor fétido e uma aparência de estar encharcada d’água, mas são na verdade colônias de bactérias que estão destruindo o tecido foliar.

O agente patógeno quando encontra condições em que fatores como umidade e calor e o veículo de propagação (água contaminda, etc.), dar-se sobre a planta a infecção.

Profilaxia:

A forma de prevenir a doença é evitar borrifar diretamente as folhas para que a água não fique acumulada no tecido e possa infectar a planta.

Sprays a base de compostos de cobre ajudam a prevenir, especialmente durante o período quente e úmido.

Tratamento:


O tratamento consiste em remover imediatamente o tecido infectado utilizando um instrumento estéril e aplicando logo após uma solução bactericida que pode ser a base de água sanitária a 10% ou a base de solução de cobre.

Popular Posts