A evolução das orquídeas

Das aproximadamente
200 espécies conhecidas
 desse gênero,
 a orquídea-cometa
 é a mais estudada pelos
 botânicos que pesquisam
 a estreita relação
entre uma planta
 e seu agente polinizador.
É que essa planta carnuda
 e perfumada, típica
 de Madagascar, faz algo
 incomum para as orquídeas:
 produz néctar.
A evolução das orquídeas através dos tempos tem intricado vários cientistas entre eles o mais famoso Charles Darwin. O sequenciamento genético está dando pistas aos cientistas como essas plantas evoluíram tão rapidamente.

Um espécime preservado em âmbar ao lado de uma abelha foi descoberto em 2007 e datado de 20 milhões de anos, o que significa que as primeiras orquídeas devam ter surgido a 100 milhões de anos, estavam presentes, ao mesmo tempo que os dinossauros.
As orquídeas são polinizadas por uma variedade maior de polinizadores do que qualquer outra família de plantas, sendo polinizada por abelhas machos que tentam acasalar com a flor por se assemelhar com uma abelha fêmea. Catasetum que dispara setas cobertos de pólen em insetos que se escovam em suas flores. Orquídea-cometa que tem um tubo de néctar alongado que é polinizada por uma mariposa-falcão de Madagascar que tem uma tromba que pode chegar a 28 centímetros, ou seja, quatro vezes o comprimento do corpo, Darwin chegou a comentar em suas pesquisas que tal mariposa existisse, sendo ainda esta orquídea polinizada por uma ave chamada de olho branco, um pássaro noturno. Pesquisadores do Royal Botanic Gardens descobriram uma orquídea sendo polinizada por um grilo, a primeira flor vista sendo polinizada por um grilo.                                                                                                 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Popular Posts