Como estimular as raízes das orquídeas.

As orquídeas precisam ter raízes! É óbvio que o papel fundamental das raízes é captar e suprir de alimento a planta. As demandas da planta por luz, nutrientes, água, etc., tudo depende do emaranhado de massa de tecidos que chamamos de raízes.

Orquídeas epífitas quando encontradas na natureza têm um desenvolvimento radicular maior do que as cultivada em vaso, isto mostra que a orquídea na natureza está muito mais ligada à sobrevivência, uma vez que um sistema radicular mais desenvolvido proporcionará a planta uma área mais abrangente para captar nutriente e água. No caso de eventuais  danos a parte aérea da planta como as folhas e pseudobulbos a planta encontrará condições de se regenerar. Quanto a plantas cultivadas em vasos e acondicionadas em condições de bom cultivo com fornecimento de água e nutrientes de forma adequada, tendem a ter um desenvolvimento radicular menor, pois ela encontrará todas as condições necessárias para seu desenvolvimento aéreo. Salvo neste caso quanto ao uso de substâncias que estimulam o desenvolvimento radicular como os hormônio e vitaminas.

Não existe um conjunto universal de técnicas culturais que se aplique a todos os orquidários, sabe-se que alguns laçam mão de uma adubação mais intensiva e outros não, tanto alguns adotam adubação química e outros adubação orgânica ou os dois métodos de adubação.  O certo é que orquidófilos desenvolvem a sua própria metodologia de cultivo.

Na hora de comprar uma orquídea é muito importante verificar o sistema radicular se as raízes tem cor vivaz com boa espessura, bom número de raízes e se não apresentam raízes mortas ou doentes.
Muitos olham para a parte aérea da orquídea como folhas pseudobulbos e flores, no entanto, se esquecem de que as raízes são a chave para o crescimento dessa orquídea depois do término da floração. Uma orquídea com poucas raízes em relação ao peso da massa da parte aérea da planta significa que a planta necessitará gastar mais energia derivada da fotossíntese e a demanda de nutriente das raízes para suprir a planta aumentará consideravelmente, isto pode causar um colapso no momento em que não poder suprir tal demanda afetando o seu desenvolvimento, ao menos se a orquídea receber as mesmas condições de nutriente e umidade do local de origem. Isto ocorre com frequência e a pessoa não sabe o que está ocorrendo com sua orquídea e vem logo a sua mente ser falta d’água ou fertilizantes e por desconhecimento o fazem em excesso levando a morte da orquídea.

Uma vez que a orquídea perde as suas raízes é muito difícil recuperá-las, mas podemos usar de alguns recursos para salvar a orquídea em questão como o uso de fertilizantes folheares que não é muito aceito, pois alguns estudos apontam que as folhas das orquídeas por possuir uma substância cerosa que impede que a planta perda água. É este mecanismo que impede que a orquídea absorva nutrientes. As únicas exceções são os estômatos sob as folhas. O certo é que tenho visto sim algum benefício da adubação foliar. A outra forma de induzir a formação de raízes é a administração de vitamina do complexo B, no nosso caso a Tiamina onde pode ser feita uma solução de 750 ml de água para um comprimido de 300mg de Benerva administrado a cada 10 dias em três aplicações.

Colocar a muda de cabeça para baixo estimula a formação de novas raízes pela produção de hormônios naturais. Colocar a planta em um recipiente hermético (saco plástico fechado) com concentrações de CO2 alta estimula a formação de novas raízes. Outros aspectos devem ser observados que favorecem ao restabelecimento da orquídea é colocar a planta em um local com menos intensidade luminosa e o aumento da humidade do ar.

O crescimento das raízes em determinadas espécies de orquídeas depende de suas características, no caso de orquídeas bifoliadas como cattleya que produz um número pequeno de raízes, quando lança um novo keiki, só produzirá novas raízes quando surgir um novo broto.

Artigo relacionado:

Dicas e cuidados com as raízes.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Popular Posts