O Que é Melhor Prevenir ou Remediar Quando se Trata de Orquídeas?

Sem dúvida que prevenir é a melhor forma de manter as orquídeas longe de pragas e agentes patógenos. Para tanto, é necessário tomar medidas cautelares, tais que a planta esteja protegida do ataque de pragas e doença, mantendo o controle fitossanidade da mesma.

A prevenção é a melhor forma a ser aplicada no cultivo de orquídeas, pois como diz um ditado popular: “É melhor prevenir do que remediar”. O que quer dizer: É melhor prevenir a planta antes o ataque de pragas e doenças do que ter que tratá-la na tentativa de salvá-la e resgatar o seu vigor. É um fato habitual do cultivador não tomar nenhum cuidado no manuseio de ferramentas e manejo das orquídeas, usando de práticas rústicas e empíricas sem qualquer técnica fitossanitária que previna que as plantas sejam atacadas por pragas e doenças, ocasionando a contaminação de plantas saudáveis. Isto se dá porque o cultivador é o maior responsável pela transmissão de pragas e doenças nas plantas. A mão do cultivador é um veículo para disseminação de fungos e bactérias em plantas saudáveis, assim como ferramentas sem serem esterilizadas, além de outros...

Desse modo, uma prática que deve ser aplicada é o cultivo preventivo. Para tal o cultivador dever ter conhecimento de como pragas e doenças se estalam nas orquídeas e quais os vetores que causam contaminação. Isto é, quais os meios em que fungos, vírus e bactérias são transportados de uma planta infectada para uma sadia.

O uso de luvas de látex ou a desinfecção das mãos com soluções a base de hipoclorito de sódio e álcool 70%, evita que durante o manuseio de plantas, plantas sadias sejam contaminadas.
As ferramentas utilizadas no cultivo merecem sua devida atenção. Elas podem transmitir inclusive vírus que não possuem cura ou tratamento. Dessa maneira, é melhor limpar cuidadosamente com solução desinfetante ou álcool 70% e, em seguida, esterilizar a ferramenta passando-a no fogo.

Orquidários amadores muitas vezes são feitos de madeira e deve ter total atenção nossa, pois tais estruturas podem se tornar focos de pragas e doenças por oferecerem refugio ou condições para desenvolvimento de doenças devido à madeira entrar em decomposição pela ação da alta umidade do ambiente. Manter a estrutura do orquidário sempre limpa e sem acúmulo de materiais, tais como: vasos usados, substratos velhos, plantas invasoras, entre outros. Além de trocar bancadas ou estantes deterioradas, que podem ser possíveis esconderijos de insetos e pragas e foco de doenças. Desta forma estará promovendo a prevenção de pragada e doenças no orquidário.

Todas as vezes que for cortar folhas, rizomas, haste floral, raízes devem ser feitos com instrumentos limpos e esterilizados. Também a aplicação nos cortes que deixam cicatrizes expostas é recomendado o uso de pasta selante, pois incisões em qualquer parte da planta deixa uma porta de entrada para doenças.

Existem maneiras simples e ecológica de se evitar a entrada de insetos no orquidário, com o uso de plantas que repelem insetos entre as orquídeas, como a citronela e o cravo de defunto.

O uso de armadilhas que usam a cor azul ou amarela atraem determinados insetos devido às ondas eletromagnéticas emanadas por elas. Também é uma boa forma de controle de determinadas pragas como: tripes que são atraídos pela cor azul, já os pulgões são atraídos pela cor amarela. Estas armadilhas são feitas com garrafas Pet pintadas com essas cores e untadas com graxa.

A irrigação das orquídeas tem a capacidade de ser um transmissor se for empregada de forma inadequada. Como fungos e bactérias podem ser transmitidos pelo respingo de água de um vaso para o outro. Essa situação se agrava quando há vasos um sobre o outro em que a água do vaso de cima cai no debaixo.

Bancadas baixas ou rentes ao solo quando são direcionados jatos d’água, esses por sua vez, batem no solo e caem no vaso contaminado as plantas com fungos e bactérias.
Enfim existem várias maneiras de se evitar contágios das orquídeas por pragas e doenças. É claro que quanto maior o número de vasos de orquídeas maior serão os cuidados com o orquidário. Apena aqui foi tratado de algumas dicas ou técnica básica para se evitar que se tomem medidas rigorosas no combate de pragas e doenças.

Encontramos diversos tipos de orquidários em que as plantas estão dispostas de várias formas e vão muito bem. Não quero aqui ditar normas ou procedimentos, porém vai depender da forma como cada um maneja bem o seu orquidário, pois nem um orquidófilo vai querer ver suas plantas doentes, mas sim para fins de esclarecimentos.   

Veja algumas medidas que podem ser adotadas no dia a dia, que evitam que suas orquídeas sejam atacadas por pragas e enfermidades no orquidário:

  • O uso de adubos orgânicos ou químicos de forma correta e regular fortalece a planta contra ataques de pragas e doença;
  • Prefira sempre usar produtos naturais para o controle e tratamento das plantas, tais como: caldas inseticidas, fungicidas e bactericidas feitas com plantas;
  • Identifique a praga ou doença que ataca sua orquídea;
  • Evite palpites de leigos quando for aplicar inseticidas, pois alguns inseticidas além de fazer mal a saúde podem matar a planta.
Você poderá querer ler:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Popular Posts